Google+ Followers

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

11 junho 2011

PASTOR E IGREJA - MENSAGEM BÍBLICA ESPECIAL PELO DIA DO PASTOR : '2º DOMINGO DE JUNHO'


Embora o 'DIA DO PASTOR' seja comemorado em datas diferentes, as maiores denominações evangélicas, tais como 'Batista e Assembléia de Deus',  comemoram no '2º DOMINGO DE JUNHO'. Parabéns aos pastores de todas as denominações! Parabéns aos pastores das 'Assembléias de Deus', no ano do seu 100º aniversário! Deus abençoe todos os verdadeiros pastores!


PASTOR ELCY FRANÇA
Quando os judeus de Tessalônica sentiram que era grande o número de pessoas que aceitavam o Evangelho, promoveram um levante que obrigou o Apóstolo Paulo a deixar a cidade. Estando em Corinto, chegaram-lhe notícias de que a oposição dos judeus prosseguia. Com o objetivo de indispor os cristãos contra o Apóstolo Paulo e seus companheiros, caluniaram-nos. Na primeira carta que escreveu aos tessalonicenses, o Apóstolo Paulo apelou para o testemunho da própria igreja em sua defesa. Esta mensagem nos dá um duplo ensinamento: um pastor que ama profundamente a sua igreja, e uma igreja leal que incentiva o seu pastor e o apóia na defesa contra falsas acusações.
-O testemunho da igreja - I Tessalonicenses 2
1 Porque vós mesmos sabeis, irmãos, que a nossa entrada entre vós não foi vã;
2 mas, havendo anteriormente padecido e sido maltratados em Filipos, como sabeis, tivemos a confiança em nosso Deus para vos falar o evangelho de Deus em meio de grande combate.
Diante da acusação de estranhos, o Apóstolo Paulo apelou para o testemunho dos cristãos. A igreja, como um todo, sabia da pureza de propósitos do trabalho do Apóstolo Paulo. É uma bênção a existência desta confiança mútua entre o pastor e o seu rebanho. As amargas experiências de Filipos não abateram o ânimo dos pregadores do Evangelho. Humildemente o Apóstolo Paulo declara que não estava neles a força para a obra que realizavam. Derivava da 'confiança em Deus'. Não era fruto de uma coragem rígida, austera, impassível, mas de confiança baseada na fé. Por esse motivo eles falaram 'o evangelho de Deus em meio de grande combate'. Eles eram os mensageiros; Deus lhes dava a mensagem.
-A pregação em Tessalônica - I Tessalinicenses 2
3 Porque a nossa exortação não procede de erro, nem de imundícia, nem é feita com dolo;
4 mas, assim como fomos aprovados por Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações.
5 Pois, nunca usamos de palavras lisonjeiras, como sabeis, nem agimos com intuitos gananciosos. Deus é testemunha,
6 nem buscamos glória de homens, quer de vós, quer de outros, embora pudéssemos, como apóstolos de Cristo, ser-vos pesados;
7 antes nos apresentamos brandos entre vós, qual ama que acaricia seus próprios filhos.
8 Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade desejávamos comunicar-vos não somente o evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias almas; porquanto vos tornastes muito amados de nós.
9 Porque vos lembrais, irmãos, do nosso labor e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus.
10 Vós e Deus sois testemunhas de quão santa e irrepreensivelmente nos portamos para convosco que credes;
11 assim como sabeis de que modo vos tratávamos a cada um de vós, como um pai a seus filhos,
12 exortando-vos e consolando-vos, e instando que andásseis de um modo digno de Deus, o qual vos chama ao seu reino e glória.
A pregação apostólica não procedia de erro. Não estavam enganados nem eram enganadores os que pregavam o Evangelho. Não pregavam por falsos motivos. A palavra 'imundícia', empregada pelo Apóstolo Paulo, tanto se refere às práticas licenciosas dos cultos pagãos que podiam ser contrastadas com a pureza do culto cristão, como à cobiça, à ganância ou à avareza. Não agiria com 'dolo' quem demonstrou possuir tão elevada noção da obra a que se dedicou. Seria proceder conscientemente de má fé, de modo fraudulento. Não foram estes os motivos que levaram o Apóstolo Paulo e seus companheiros a enfrentar os perigos a que estiveram expostos entre os tessalonicenses para lhes anunciar o Evangelho. Não buscavam a sua própria glória na pregação, mas a de Deus. Não procuravam agradar aos homens, mas a Deus (I Tessalonicenses 2:4-6). Deus lhes confiara a pregação do Evangelho e aprovara o trabalho deles. Abençoada é a vida que pode apelar para a Onisciência de Deus em seu testemunho! Não se compraziam em lisonjas. Eram Apóstolos de Cristo, e se satisfaziam em ter a glória de Deus como objetivo supremo de suas atividades. Entendiam que a honra de suas funções não provinha deles mesmos, mas de Cristo, a quem se devia toda a glória. O Apóstolo Paulo usou o mais eloquente exemplo de ternura humana - o da 'ama que acaricia seus próprios filhos' - para ilustrar o cuidado com os filhos na fé (I Tessalonicenses 2:7). Falara-lhes da brandura de Cristo, e a demonstrou com o exemplo.
O contato com os tessalonicences resultou numa simpatia recíproca. Era grande o amor do Apóstolo Paulo por eles (I Tessalonicenses 2:8). Amar as almas é requisito indispensável para que haja êxito no trabalho de qualquer obreiro. Não foi por interesse pecuniário que eles pregaram o Evangelho em Tessalônica (I Tessaloninceses 2:9). O Apóstolo Paulo trabalhava 'noite e dia', o que quer dizer que lhe sobrava pouco tempo para descanso. Mesmo assim alcançava o sucesso que só uma ardente paixão e um verdadeiro amor  pelas almas poderia conseguir. Os tessalonicenses eram as melhores testemunhas de suas obras. O Apóstolo Paulo e os demais pregadores viveram de maneira santa diante de Deus; por isso eram justas e irrepreensíveis as suas relações com as pessoas. Uma vida santa é a prova da realidade dos fatos espirituais que o pregador descreve por suas palavras (I Tessalonicenses 2:10). O Apóstolo Paulo cuidava do caso de cada cristão (I Tessalonicenses 2:11). Com que ternura era feito o trabalho! Não era um processo mecânico e frio, como que imposto por força a que se obedece contra a vontade. O objetivo de tal obra era fazer que os cristãos se portassem 'de modo digno de Deus', que os havia chamado para uma vida de comunhão com Ele (I Tessalonicenses 2:12).
-A recepção do Evangelho em Tessalonica - I Tessalonicenses 2
13 Por isso nós também, sem cessar, damos graças a Deus, porquanto vós, havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes, não
como palavra de homens, mas {segundo ela é na verdade} como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes.
Os tessalonicenses receberam o Evangelho como a mensagem de Deus. A imaginação humana não a  teria produzido. Eles sabiam distinguir entre 'a Palavra de Deus' e a 'palavra de homens'. Eles viram os efeitos que sempre surgem quando o Evangelho de Cristo é aceito pela fé como a verdadeira Palavra de Deus que transforma os corações.
-A obra de um verdadeiro pastor:
1. É frutífera:
'Porque vós mesmos sabeis, irmãos, que a nossa entrada entre vós não foi vã (I Tessalonicenses 2:1)'. Cumpre-se a promessa de Deus de que a sua palavra não voltará vazia.
2. É sacrificial:
'Mas, havendo anteriormente padecido e sido maltratado em Filipos, como sabeis, tivemos a confiança em nosso Deus para vos falar o Evangelho de Deus em meio de grande combate (I Tessalonicenses 2:2)'. Nenhuma causa tem enfrentado no mundo tão grandes lutas quanto a pregação do Evangelho de Cristo.
3. É correta:
'Porque a nossa exortação não procede de erro, nem de imundícia, nem é feita com dolo (I Tessalonicenses 2:3)'. Quem prega o Evangelho ministra a verdade que liberta as almas do erro e da mentira para conduzí-las a Cristo.
4. É aprovada:
'Mas, assim como fomos aprovados por Deus para que o Evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações (I Tessalonicenses 2:4)'. Não importa o juízo dos homens, mas o de Deus, que vê a disposição de nossos corações.
5. É honesta:
'Pois, nunca usamos de palavras lisonjeiras, como sabeis, nem agimos com intuitos gananciosos, Deus é testemunha, nem buscamos glória de homens, quer de vós, quer de outros, embora pudéssemos, como apóstolos de Cristo, ser-vos pesados (I Tessalonicenses 2:5,6)'. O pastor não busca seus interesses pessoais, mas da causa que representa.
6. É amorável:
'Antes nos apresentamos brandos entre vós, qual ama que acaricia seus próprios filhos (I Tessalonicenses 2:7)'. O rebanho conhece a voz mansa do pastor que o ama e que vive para serví-lo. Isto o obreiro aprendeu do Bom Pastor, que disse: 'Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração (Mateus 11:29)'.
7. É comunicativa:
'Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados de boa vontade desejávamos comunicar-vos não somente o Evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias almas; porquanto vos tornastes muito amados de nós (I Tessalonicenses 2:8)'. O pastor não comunica apenas a mensagem de Deus; o seu próprio ser se transfunde naqueles que Deus entregou sob seus cuidados.
8. É fatigante:
'Porque vos lembrais, irmãos, do nosso labor e fadiga; pois, trabalhando dia e noite, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o Evangelho de Deus (I Tessalonicenses 2:9)'. Por muito que façamos, não faremos ainda como Jesus, que 'não veio para ser servido, mas para servir (Mateus 20:28)'.
9. É irrepreensível:
'Vós e Deus sois testemunhas de quão santa, justa e irrepreensívelmente nos portamos para convosco que credes; assim como sabeis de que modo vos tratávamos a cada um de vós, como um pai a seus filhos, exortando-vos e consolando-vos, e instando que andásseis de um modo digno de Deus, o qual vos chama ao seu reino e glória (I Tessalonicenses 2:10,11,12)'. O pastor fiel é exemplo para a sua igreja, que vê nele um representante de Deus. Ele é a imagem de Cristo para os cristãos.
10. É agradecida:
'Por isso nós também, sem cessar, damos graças a Deus, porquanto vós, havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo ela é na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes (I Tessalonicenses 2:13)'. A gratidão a Deus expressa o reconhecimento de que Deus é o autor da obra. O pastor é o elemento humano que Deus usou para realizá-la.
-Finalização
Que Deus continue nos ajudando e nos abençoando!
Gratidão, Honra, Glória, Louvor e Adoração somente ao Nosso Único, Verdadeiro, Eterno, Amoroso, Onisciênte, Onipresente e Onipotente Deus, pelos séculos dos séculos, sem fim! Aleluia!
Que a Graça e a Paz do Senhor e Salvador Jesus Cristo; que o Grande, Eterno, Infinito e Sublime Amor de Deus; e que as Consolações, o Conforto, a Comunhão e o Poder do Espírito Santo sejam com todo o povo de Deus, hoje, sempre, eternamente! Amém!


Pastor Elcy França


Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEU COMENTÁRIO É DE GRANDE VALIA PARA NÓS , OBRIGADO.